Personalidade Problemas comuns à raça Sobre o Welsh Terrier O Filhote Padrão  
 

 

A história do Welsh Terrier é bastante nebulosa, especialmente por se tratar de uma raça bastante antiga. Muitos autores consideram que o Welsh seja um descendente do antigo Terrier Inglês preto-e-canela, muito popular na Inglaterra desde do século XII. Outros historiadores alegam que a história seja exatamente o inverso, ou seja, que os antigos Terriers seriam os descendentes do Welsh, e baseiam sua tese em textos antigos, do século XI que mencionam a existência de pequenos terriers do país de Gales que perseguiam raposas e texugos. Os textos mais recentes, datados dos séculos XV e XVIII já fazem menção específica ao tipo de pelagem - dura - e à coloração dos cães.

Qualquer que seja a direção desta história, o fato é que os Welsh Terrier foram selecionados para ajudar na caça de animais de toca. Os cães deveriam desalojar as presas - em especial raposas e lontras - que se escondiam em tocas subterrâneas.

Os primeiros registros da criação especializada são do século XVIII e remetem ao trabalho da família Jones, em Ynysor e, posteriormente, os Welsh teriam sido adotados pelos mineiros de carvão.

A raça foi introduzida no cenário da cinofilia mundial em 1854, e foi apenas em 1885 que a raça participou pela primeira vez em exposições oficiais. Mesmo em seu país de origem - Inglaterra - a raça nunca enfrentou um grande boom de popularidade, mas experimentou um crescimento constante e consistente em todos os países da Europa e Estados Unidos, especialmente na década de 60.


Personalidade

O Welsh Terrier, em sua aparência, é normalmente definido como se fosse um Airedale Terrier em ´miniatura´. E de fato são muito similares. Assim como a maioria dos Terriers o Welsh se caracteriza por um temperamento alegre, muito ativo e afetuoso com seus donos. É um cão de personalidade bastante forte e precisa de um dono com experiência e autoridade.

É uma raça que está sempre alerta. São cães que topam qualquer atividade que seja proposta. Adoram correr, caçar e brincar. Podem obter excelentes resultados em provas de agility, esporte no qual podem aproveitar completamente a sua agilidade e rapidez.

Em sua função original, a raça aproveitava sua extrema agilidade e stamina para atuar com maestria na caça com arma de fogo ou mesmo furão. Sua versatilidade faziam com que fosse utilizado ainda na caça em terrenos mais pantanosos e mesmo dentro d´água. Resistência e combatividade, aliada a uma enorme coragem, fizerem destes pequenos cães excelentes caçadores.

Apesar de seu tamanho moderado (pesam aproximadamente 9 quilos) não são cães que possam viver em locais pequenos ou com pouca atividade. Por sua história e utilização inicial, desenvolveram um enorme senso de independência, uma vez que, na prática da caça em tocas, era necessário que fossem autoconfiantes e determinados para cumprirem sua meta. E essa característica eles absolutamente não perderam.

Na classificação do pesquisador Stanley Coren, em seu livro ‘A Inteligência dos Cães’, o Welsh Terrier ocupa a 53ª posição entre as 133 raças pesquisadas, o que apenas comprova a tese de que é um cão que precisa realmente ser estimulado a obedecer seu dono. Por isso mesmo, é altamente recomendável que desde cedo o proprietário inicie um programa de adestramento de obediência com seu Welsh, com o objetivo de tornar a convivência mais fácil para ambas as partes.


O Filhote

A educação do filhote requer, acima de tudo, paciência. Especialmente quando o filhote já tiver aproximadamente 6 meses e estiver trocando seus dentes, deve-se evitar que os móveis sejam seu alvo preferencial. Para isso, convém fornecer brinquedos próprios para esta fase.

Como os adultos, os filhotes são muito ativos e curiosos e devem ser educados desde cedo. O adestramento básico de obediência é extremamente recomendável para cães que possuam estas características de independência e, de maneira geral, os resultados aparecem tanto mais rápido quanto maior for o envolvimento do dono no processo de treinamento.

Não devem ser deixados sozinhos por longos períodos, uma vez que sua curiosidade e necessidade de atividade farão com que procurem alguma distração, o que nem sempre trará resultados agradáveis para o dono.


Pelagem

Normalmente cães de ´pelo duro´ estão entre as raças que não enfrentam a muda na mudança de estações. Apesar disso, precisa de cuidados para que seu pelo se mantenha saudável e bonito.

Os cães de exposição nunca podem ser cortados com tesoura uma vez que essa prática muda a consistência da pelagem e pode até mesmo a tonalidade original dos marcas. As tosas de exemplares de pista devem ser feitas à base do stripping, que consiste na retirada manual dos pelos com a ajuda de uma faquinha apropriada. Esse procedimento só deve ser realizado por profissionais competentes.


Problemas comuns à raça

O Welsh Terrier, de maneira geral, é um cão rústico, sem muitos problemas de saúde. Os registros dos clubes americanos da raça enfatizam especialmente a presença de alguns distúrbios de fundo genético como:


   


.


Fale com a Gente