Torção Gástrica

 

A tor√ß√£o g√°strica afeta de maneira particular os c√£es de ra√ßas de grande porte e que possuem 'peito profundo'. C√£es de pequeno porte tamb√©m podem sofrer tor√ß√Ķes g√°stricas, apesar de ser extremamente raro. A causa prim√°ria √© desconhecida, mas in√ļmeros estudos est√£o sendo realizados com o objetivo de definir sua genealogia.

Em determinadas circunst√Ęncias o est√īmago dos c√£es dilata-se (ingest√£o de refei√ß√Ķes muito abundantes ou rica em alimentos ferment√°veis e esvaziamento insuficiente do est√īmago pelo piloro) e com um movimento brusco torce-se segundo seu eixo longitudinal. O piloro passa por baixo do est√īmago e fica numa posi√ß√£o por cida do c√°rdia, do lado esquerdo do c√£o No eixo torcido ficam alguns vasos sangu√≠neos importantes que interrompem o bombeamento do sangue para uma parte consider√°vel do abd√īmen. Na realidade, o animal entra em estado de choque na medida que o conte√ļdo estomacal n√£o sai nem por cima (v√īmito) nem por baixo (fezes).

Existem duas situa√ß√Ķes que agravam o estado do c√£o: o ac√ļmulo de gases, proveniente da fermenta√ß√£o o conte√ļdo estomacal e a obstru√ß√£o dos 2 orif√≠cios do est√īmago: c√°rdia e piloro, que em situa√ß√Ķes normais promovem o al√≠vio atrav√©s do v√īmito ou passagem para o intestino.

O est√īmago dilatado, comprime a caixa tor√°xica originando dificuldades respirat√≥rias e m√° oxigena√ß√£o do sangue.

Essa dilata√ß√£o/tor√ß√£o, envolve altera√ß√Ķes anat√īmicas importantes e choque hipovol√™mico pela s√ļbita oclus√£o de vasos sang√ľ√≠neos. H√° ainda o deslocamento do ba√ßo, o que comprime a veia cava caudal fazendo baixar a press√£o arterial e causando complica√ß√Ķes na circula√ß√£o das art√©rias que irrigam o cora√ß√£o, provocando arritmia.

Veja abaixo alguns dados do estudo realizado pela Universidade Perdue de Medicina Veterinária sobre a doença:

  • Tamanho: quanto maior o c√£o, maior o risco.

  • Conforma√ß√£o do t√≥rax: c√£es com t√≥rax profundo e estreito s√£o mais suscet√≠veis.

  • Idade: animais mais velhos correm maior risco, especialmente ap√≥s os 7 anos.

  • Base gen√©tica: se existem parentes do c√£o que j√° sofreram de tor√ß√£o g√°strica o risco aumenta sensivelmente.

  • Personalidade: segundo o estudo, c√£es mais t√≠midos e medrosos correm mais risco que aqueles mais amig√°veis ou curiosos.

Sintomas de Alerta

Nem todos os animais desenvolvem todos os sintomas, mas é importante que o dono esteja atento ao seu aparecimento:

  • Inquieta√ß√£o
  • Mal-estar
  • O c√£o baba
  • Tentativas infrut√≠feras de vomitar
  • Palidez das mucosas
  • Dificuldades respirat√≥rias
  • Perda de consci√™ncia

Tratamento

O tratamento deve ser extremamente rápido, portanto, tenha sempre à mão os telefones de seu veterinário para casos de emergência. O proprietário NÃO DEVE tentar ajudar sozinho seu cão.

A prioridade no 'primeiro-socorro' deve ser tratar o estado de choque e a arritimia card√≠aca. Para tal, deve-se procurar descomprimir o est√īmago e iniciar o tratamento com soro e com a introdu√ß√£o de uma sonda pela boca at√© o est√īmago.

Prevenção

A principal medida preventiva diz respeito √†s quantidades de alimento que o c√£o ingere a cada refei√ß√£o. Assim, recomenda-se dividir a quantidade total das refei√ß√Ķes em 2/3 vezes ao dia, evitando sobrecarga do aparelho digestivo e evitando especialmente concentrar a alimenta√ß√£o no per√≠odo noturno.

Deve-se evitar que os c√£es que comam muito r√°pido, uma vez que desta maneira, eles acabam enchendo o est√īmago de ar. Outra dica, especialmente para os que possuem c√£es de grande porte √© evitar colocar os pratos de comida no ch√£o. Deve-se preferir coloc√°-los em suportes de modo que o c√£o n√£o tenha que abaixar-se muito para comer.

Uma vez que há determinação genética quanto à sensibilidade à torção gástrica, deve-se evitar acasalar cães que apresentem este problema.

As 10 raças mais suscetíveis à Torção Gástrica

Segundo estudo desenvolvido pela Purina 'Estudos Epidemiol√≥gicos de Tor√ß√£o do est√īmago em C√£es".

1. Dogue Alem√£o

2. S√£o Bernardo

3. Weimaraner

4. Setter Irlandês

5. Gordon Setter

6. Poodle Standard

7. Basset Hound

8. Dobermann

9. Old English Sheepdog

10. Braco Alem√£o de Pelo Curto

Fonte: Revista C√£es e Companhia - Lisboa - Editorial UVR