no ar desde 1998

 
 

Imagem da revista especial sobre Poodle - Cães e Raças

 

 

 
Personalidade Problemas comuns à raça Sobre o Poodle O Filhote Padrão  
 

 

O Poodle é, sem dúvida, uma das raças mais populares em todo mundo e isso se deve a diversos fatores, entre eles a própria antigüidade da raça, que, segundo vários historiadores é conhecida há 6 séculos.

Apesar de a origem do Poodle ser atribuída à França, onde são chamados de "Chien Canne" ou "Caniche", aparentemente o berço da raça é mesmo a Alemanha, onde é chamado de "Pudel", derivado de palavra "pudelin" que significa "jogar-se na água". De qualquer forma, foi na França que o Poodle desenvolveu sua estrutura atual e onde, freqüentando as cortes dos reis franceses desde Luis XIV, ganhou a popularidade que desfruta hoje.

O Poodle era, originalmente, usado para a caça aquática, onde desempenha a função de recuperar as aves abatidas que caiam na água. Foi também utilizado pelos franceses e ingleses como ‘cão trufeiro’, com a missão de utilizar seu excelente olfato para descobrir trufas debaixo da terra.

Imagem extraída do site do AKCMas foi como cão de companhia que o Poodle se tornou uma das estrelas da cinofilia, estando entre as raças de maior número de registros em diversos países (veja ranking), inclusive no Brasil, onde estima-se que represente mais de 17% da população canina (dados de 1997).

Infelizmente, a popularidade trouxe à raça uma série de problemas, desde físicos até de temperamento, muitos deles ocasionados por acasalamentos não recomendados e falta de rigor dos ‘fabricantes de filhotes’. cryspups.jpg (4507 bytes)

Esse quadro de alta popularidade X baixa qualidade dos cães produzidos parece ser uma ‘sina’ da raça, que já foi a mais popular dos EUA na década de 80, perdendo este status justamente em função dos inúmeros problemas que apresentavam esses ‘Poodles’. No Brasil, o quadro da criação nacional apresenta também diversos problemas. Diante da quantidade de cães registrados seria de se esperar que muitos participassem de exposições, mas no entanto, a presença de criadores é bastante pequena o que enseja o crescimento, também aqui, dos ‘fabricantes de filhotes’ que se aproveitam da falta de conhecimento da grande maioria das pessoas e comercializam exemplares que pouco ou nada respeitam os padrões da raça, quer quanto à cor, tamanho e, especialmente, temperamento dos cães.


O Poodle é um cão extremamente inteligente. Segundo Stanley Coren, autor do livro a "A Inteligência dos Cães", a raça ocupa o segundo lugar no ranking de obediência para o trabalho, abaixo apenas do Border Collie (o cão que aparece no filme Babe, o porquinho). Isso explica o fato de que a maioria dos cães de shows, circos, etc pertençam à raça, uma vez que são cães que aprendem muito rápido e fixam de maneira muito consistente as lições aprendidas.

Mas, não foi apenas a sua inteligência, que levou o Poodle a conquistar destaque como cão de companhia. Seu temperamento brincalhão, divertido e afetuoso fizeram com que se tornasse praticamente um paradigma para os cães de companhia.

Apesar de todas as qualidades intrínsecas à raça, e como conseqüência da baixa qualidade da criação, muitos exemplares apresentam problemas sérios de comportamento, chegando mesmo a apresentar traços de agressividade contra o próprio dono e com outras pessoas, desobediência, teimosia, excesso de ‘zelo’ quanto a objetos, isso sem falar do altamente indesejável excesso de latidos. Segundo diversos criadores, a maioria dos problemas de temperamento dos Poodles atinge de maneira mais evidente os exemplares dos tamanhos menores (toy e micro), justamente os mais comercializáveis.

No entanto, além dos cuidados quanto à procedência do cão, é extremamente importante ressaltar o papel do dono na educação do cão: por ser o Poodle extremamente inteligente, também é capaz de aprender que, se ele adotar comportamentos ‘dominantes’ em relação ao dono acaba sendo atendido. E é aí que o dono, procurando ‘agradar’ seu cão acaba por reforçar estes desvios de personalidade.


pups3-lee.jpg (15013 bytes)


O filhote desde cedo deve apresentar as características do cão adulto, não apenas quanto à estrutura física (quadradinha) como também quanto ao temperamento.

A cor do filhote é outro aspecto importante: é comum que a tonalidade dos cães fique mais clara com o passar do tempo, mas de qualquer maneira, a pelagem deve ser sólida, sem manchas.

Outro cuidado importante na aquisição dos filhotes diz respeito ao TAMANHO que ficará quando adulto. Para evitar decepções, é sempre recomendável que antes de se adquirir um filhote se faça uma visita aos pais da ninhada. Normalmente, o tamanho dos pais é um bom parâmetro para o dos filhotes.


O Poodle em sua origem foi desenvolvido apenas no tamanho "standard", mas através de cruzamentos selecionados, os criadores fixaram outros padrões de tamanho. No Brasil, as 2 entidades nacionais reconhecem tamanhos diferentes para o Poodle.

De acordo com a CBKC, que segue o padrão da Federação Cinológica Internacional, o Poodle pode ter 4 tamanhos:

  • Poodles Grandes: de 45 até 60cm, com uma tolerância de 2cm.
  • Poodles Médios: de 35 até 45cm.
  • Poodles Anões: de 28 a 35cm.
  • Poodles Toys: abaixo de 28cm (a altura do tipo ideal é 25cm).

Já o padrão do American Kennel Club considera 3 tamanhos para o Poodle

  • Poodles Standard: mais de 38cm
  • Poodles Miniatura: de 28 até 38cm.
  • Poodles Toys: de 25,5cm a 28 cm

É importante ressaltar que é pouquíssimo recomendado o acasalamento de cães com estruturas ósseas (tamanhos) diferentes.


puppies-Velvet Touch.jpg (16774 bytes)Da mesma forma que o Poodle apresenta diversos tamanhos, também são muitas as cores aceitas pelas entidades.

Neste ‘quesito’ também há diferenças entre os padrões aceitos por elas.

De acordo com a CBKC/FCI, o Poodle pode ser de 4 cores: preto, branco, marrom, cinza e abricó.

Já de acordo com a ACB, aceita-se os pretos, brancos, marrons, azuis, cinzas, abricós, champanhes e prateados (cinza claro).

Nos acasalamentos deve-se procurar não misturar exemplares de cores diferentes, uma vez que tal mistura pode gerar filhotes de cores não aceitas ou mesmo manchados.


Tosa

A pelagem farta do Poodle lhe rendeu o título de "campeão quanto às formas de se tosar". Só para se ter uma idéia, o livro "The Complete Poodle Clipping & Grooming" ilustra 54 tipos de corte.

Segundo diversas fontes, as formas de tosar o pelo dos Poodles era diretamente vinculada às atividades que desenvolvia. O corte conhecido como "leão" (retirada do pelo dos quadris, deixando pelo farto em volta dos peito e dos joelhos) foi criado para aliar proteção, e versatilidade na água, à beleza e equilíbrio do cão.

Entre os tipos mais comuns estão a Tosa de Verão, Carneirinho (não aceitas para apresentação em exposição), a Leão e a Moderna (aceitas em exposição).

Uma característica curiosa é que, apesar do pelo crescer mais rapidamente que o das outras raças, o Poodle não perde pelos como os outros cães. Mas mesmo com essa ‘facilidade’ é preciso cuidados especiais com a pelagem do Poodle. O ideal é que receba escovação diária para evitar nós, banhos e tosa regulares. Além de uma atenção extra para não deixar o pelo molhado e evitar assim, o aparecimento de fungos e outros problemas de pele.


Um dos principais problemas de saúde que afeta os Poodles é a Otite (inflamação do ouvido), propiciada pela posição ‘caída’ das orelhas e dos tufos de pêlos dentro delas, que retém umidade. A prevenção é feita basicamente evitando que entre água durante o banho, e através de procedimentos regulares de higiene.

Além da otite, a raça é especialmente sensível a:

  • Luxação da Patela – um deslocamento do osso do joelho, comum em raças pequenas, que causa dor e dificuldade para andar.

  • Displasia - má formação no encaixe da cabeça do fêmur com a bacia. Essa má-formação é mais característica em raças grandes, mas pode aparecer também nos Poodles.

  • Atrofia Progressiva da Retina – que consiste na perda gradual da visão podendo levar o cão à cegueira total. Segundo dados do clube americano da raça, 25% dos Poodles desenvolvem a doença para a qual não há tratamento.

  • Dentição dupla – recomenda-se a extração dos dentes de leite, por favorecer o desenvolvimento do tártaro.

  • Outra característica comum em cães brancos são as manchas na pelagem sob os olhos, causadas pelas lágrimas.


   

   

 

 

 

 

Referências Utilizadas

  • Revista Cães e Cia
  • Os Cães, editora Melhoramentos
  • Site - Wonderful World of Poodles
  • Site - Lord Cão

Para Saber Mais:

Imagem do Shangrilapoodles

 



.


Fale com a Gente


  © COPYRIGHT M&M Arte Soluções Web  LTDA 1997-2014
Este site, suas fotos e textos, tem seus direitos autorais protegidos por lei.
É proibida sua reprodução parcial ou total sem autorização expressa e por escrito.