Piometra

 

É uma infecção uterina que acomete cadelas a partir dos 5 anos de idade, mas que pode aparecer em fêmeas mais jovens. A freqüência da doença é maior em cadelas que nunca tiveram cria, daí o equivocado dizer popular "cadela que nunca cruzou terá câncer no útero". Na verdade, a piometra (e não o câncer) pode aparecer mais facilmente em cadelas que nunca criaram, porém, temos visto que também cadelas que já tiveram sua cria podem ter piometra. Assim, acasalar uma fêmea no intuito de prevenir a infecção uterina (piometra), certamente não é um método 100% eficaz.

Os sinais da doença aparecem, geralmente, 1 mês após o último cio. A cadela pára de comer, parece triste, tem febre, aumenta a ingestão de água e, consequentemente, a produção de urina. Apresenta vômitos. Um corrimento vaginal abundante, espesso, de odor desagradável e cor parda, é um sinal bastante característico da piometra. Os locais onde a fêmea senta ficam manchados pela secreção. Muitas cadelas lambem insistentemente a região genital e o proprietário não percebe o corrimento. Em alguns casos que denominamos "piometra fechada", esse corrimento não aparece, o que dificulta o diagnóstico.

O útero com piometra fica repleto de secreção, aumenta muito de tamanho e o organismo começa a absorver o conteúdo purulento (pus), levando o animal a uma intoxicação pelas toxinas bacterianas. Se diagnosticada a tempo, a piometra tem tratamento cirúrgico que consiste na remoção do útero (castração), associada a uma terapia com antibióticos. O diagnóstico é feito pelos sinais clínicos, exames laboratoriais (hemograma) e ultra-sonografia do útero para confirmação do diagnóstico. Encaminhar o animal para a cirurgia imediatamente.

A recuperação é rápida após a cirurgia, pois o foco da infecção é retirado.

Como o sinal clínico mais evidente é o corrimento, o proprietário de fêmeas com mais de cinco anos deve ficar atento e comunicar o veterinário se notar essa alteração. É bom ressaltar, mais uma vez, que fêmeas que já acasalaram NÃO estão livres da piometra. O melhor método preventivo é a castração das cadelas logo após o 1° cio.

Colaboração da Médica Veterinária, 
Silvia C. Parisi
- médica veterinária (CRMV SP 5532)
www.webanimal.com.br