no ar desde 1998

 
 

 

 

 
Personalidade Problemas comuns à raça Sobre o Husky Siberiano O Filhote Padrão  
 

 

Imagem extraída do site FASTRK KennelA origem do Husky Siberiano é bastante remota sendo conhecido na Sibéria há quase 2.000 anos, onde foi desenvolvido pelos Chukchi com o objetivo de usá-lo para puxar trenós com pequenas cargas, por longas distâncias, com pouca comida e nas condições de tempo mais rigorosas, com temperaturas que chegam facilmente à -60º C.

Em 1909 os primeiros Huskies partiram da Sibéria para o Alaska de onde começaram a conquistar a simpatia do mundo todo.

Em 1925 ganharam o reconhecimento mundial ao ajudar a salvar a população de uma aldeia no Alaska que, assolada por uma epidemia, não poderia receber medicamentos por que tempestades de neve impediam o pouso dos aviões. Na ocasião, mais de 150 animais de várias raças de cães puxadores de trenó foram mobilizadas para fazer chegar os medicamentos percorrendo uma distância de 1054 quilômetros em 5 dias e meio, mas o trajeto mais complicado e difícil coube aos Huskies, liderados por Togo e Balto.

Até hoje, em comemoração ao feito dos cães é realizada uma famosa corrida (Iditarod Trail) até a cidade de Anchorage, salva pelos cães.

A raça foi reconhecida pelo AKC em 1930. No Brasil, está entre as cinco raças mais registradas desde 1990. O mesmo ocorre no Japão, Itália e Espanha. Mas a popularidade da raça trouxe graves conseqüências não apenas para o "plantel" nacional mas também para os próprios cães, uma vez que, infelizmente, muitas pessoa acabam adquirindo um filhote de Husky por apaixonarem-se apenas pelos seus "belos olhos"... e por não conhecerem as necessidades da raça acabam se desfazendo dos cães. A situação de "incompatibilidade" dos donos com os Huskies ficou tão séria que Clube do Husky Siberiano de São Paulo mantém o SOS Husky, que procura encontrar novos lares para os Huskies cujos donos entregaram os pontos".


Imagem extraída do site do Allegro KennelOs Huskies são cães que adoram pessoas, o que faz com que não seja indicados para as funções de guarda. Extremamente bonitos, chamam a atenção de todos por seus olhos claros, pêlo exuberante e farto. São cães cheios de energia e vitalidade, o que pode transformá-los em cães travessos quando não têm espaço para gastar toda sua vitalidade. Uma das mais freqüentes atitudes que apresentam quando estão entediados é cavar jardins, roer móveis e empreender grandes perseguições a gatos ou mesmo dar uma "escapada" pelos muros e portões. Por essa razão, os criadores sérios recomendam muita reflexão aos futuros proprietários da raça, que precisa de espaço para exercitar-se.

Além da incansável energia, o Husky é um cão muito dócil e independente, característica muito facilmente entendida por "teimosia". É um cão que precisa seguir um líder (humano) que tenha bastante paciência e "pulso firme", sem jamais apelar para a violência. É um cão extremamente leal e companheiro, procurando agradar o dono sempre, fator que deve ser aproveitado no período de adestramento como principal motivação do cão.

Apesar de possuir uma bela e farta pelagem o Husky não demanda cuidados especais para manter seu aspecto bonito. Instintivamente limpo, o Huski tem por hábito lamber-se para fazer sua "toalete" e tem pouquíssimo cheiro, dispensando assim os banhos freqüentes.

Durante o período da muda (quando o cão ‘troca’ o pêlo o que ocorre no máximo duas vezes ao ano), o pêlo cai muito e precisa ser escovado diariamente até para facilitar a limpeza da casa, removendo diretamente os pelos mortos.

O Husky está na 45ª posição do ranking de inteligência para o trabalho elaborado por Stanley Coren - veja em A Inteligência dos Cães.


Desde muito cedo percebe-se a tremenda energia dos Huskies e para evitar problemas, deve-se investir algum tempo na sua educação, sendo bastante recomendado que freqüentem aulas de adestramento básico tão logo terminem as vacinas.

Por sua função original de puxadores de trenó, os Huskies têm uma forma de movimentação bastante característica e que deve ser observada desde a mais tenra idade, um misto de trote e galope. Este é um dos fatores que deve ser bastante observado antes da compra do filhote. Um Husky não deve se movimentar com passadas curtas ou muito "saltitante".

Apesar de sua boa índole com as pessoas, não é comum que o Husky se dê bem com outros animais, mesmo com outros cães.


O Husky apresenta uma grande variedade de cores (todas são permitidas) e de marcações.

As mais "raras" são o branco puro e o piebald (ou "malhado"). Os olhos podem ser azuis, castanhos e até mesmo um de cada cor.


Até em função de suas origens o Husky não apresenta sensibilidade especial a doenças, com exceção de alguns problemas relacionados à visão, como:


   

   

 

 

 

 

Referências Utilizadas

Para Saber Mais:

 



.


Fale com a Gente


  © COPYRIGHT M&M Arte Soluções Web  LTDA 1997-2014
Este site, suas fotos e textos, tem seus direitos autorais protegidos por lei.
É proibida sua reprodução parcial ou total sem autorização expressa e por escrito.