no ar desde 1998

 
 

 

 

 
Personalidade Problemas comuns à raça Sobre o Old English Sheepdog O Filhote Padrão  
 

A origem do Old English Sheepdog (ou Bobtail) é bastante controversa. Algumas correntes acreditam que tenha tido como ancestral um cão russo peludo, chamado Owtchar, levado para a Grã-Bretanha pelos navios provenientes do Báltico. Outros pesquisadores acreditam que tenha íntimo parentesco com o Briar e Bergamasco; outros ainda afirmam que tenha sangue do Caniche e do Deerhound.

Mas qualquer que tenha sido sua origem, atualmente é um cão bastante conhecido no mundo todo, especialmente devido à sua aparência característica e às suas qualidades como pastor, cão de guarda, de trenó, de transporte e de companhia, sendo um excelente companheiro para as crianças. Sua especial dedicação a elas, fez com que fosse adotado por diversas instituições para crianças portadoras de deficiências como auxiliares no seu tratamento.

Por sua versatilidade, ganhou muito destaque na indústria cinematográfica internacional, onde foi o astro de filmes como Digby – o Maior cão do Mundo (1974) e Labirinto (1986). No Brasil, também ganhou papéis importantes na TV, onde comandava um programa infantil chamado TV Colosso (Priscila) e era um dos cães mais simpáticos da novela Vira-Lata.


O Old English Sheepdog é um cão que se caracteriza pela grande necessidade de contato com os donos e sabe como cobrar a atenção que acredita merecer. É um cão tranqüilo, capaz de passar horas a fio num cochilo e estar "pronto para a ação" ao menor chamado do dono, a quem segue onde puder, especialmente porque acima de tudo, detesta ficar sozinho.

Mesmo com seu porte avantajado adapta-se bem a qualquer espaço e desde que o dono se disponha a levá-lo em caminhadas diárias, pode viver bem até mesmo em apartamentos.

Por sua constituição física forte e contrariando a imagem que se tem de seu andar "rebolante", o Sheepdog pode acompanhar o dono em atividades física mais puxadas como o cooper ou passeios de bicicleta sem demonstrar fadiga. Sua fama de "desastrado" deve-se, em muito, à redução de sua visão devido aos pêlos. Para enfrentar esse "pequeno obstáculo" e aumentar a visibilidade alguns criadores sugerem manter os pêlos da frente amarrados acima dos olhos com uma fita ou um elástico.

Segundo a classificação do livro "A Inteligência dos Cães", o Sheepdog não está entre os 10 mais indicados para a função de guarda, justamente por ser tranqüilo demais. No ranking geral de inteligência, encontra-se na 63ª posição. O Sheepdog aprende para agradar ao dono e isso deve ser levado em conta quando se quer ensinar um cão desta raça.

O Sheepdog é um cão corajoso e bastante sociável com os outros cães e pode até mesmo conviver com gatos e aves, sobre quem acaba exercendo sua função primordial: pastorear e proteger.


O Sheepdog nasce preto-e-branco, e passa por uma mudança gradativa de cor, entre os dois e seis meses, quando as manchas pretas clareiam para tons de cinza, a partir da raiz. Os cães atingem sua cor definitiva até os 2 anos. Normalmente, o nariz, lábios e o contorno dos olhos nascem sem pigmentação, mas nos primeiros dias, pontos pretos aparecem.

Como a maioria dos filhotes, o do Sheepdog deve ser ativo, curioso e brincalhão, não demonstrando sinais de introversão ou mesmo agressividade.

Não é desejável pelagem marrom. Olhos verdes, amarelos, cinza e castanho-claro são proibidos (devem ser escuros ou ambos azuis).

Corta-se o ergot (quinto dedo) e a cauda até o quinto dia de vida.

Por ser uma raça de crescimento rápido, o ideal é que desde o começo seja criada com uma ração de boa qualidade e a complementação com o cálcio só deve ser feita por orientação de um veterinário.


A maior parte dos problemas apresentados pelo Sheepdog diz respeito aos cuidados necessários com sua higiene e em particular com a pele e pelagem.

Sua sensibilidade às picadas de pulgas e carrapatos é uma causa comum para a aparição de problemas de pele e pode até acarretar queda de pêlos, machucados e coceira intensa.

Outro foco de problema é causado pela umidade na pelagem, que favorece a proliferação de bactérias e fungos, com coceiras intensas e mau cheiro.

Excesso de sol no nariz e pálpebra despigmentados são causas da dermalite solar. Os sintomas são bolhas na região sem pigmentação e grande sensibilidade. Por causa da dor, o cão pode ficar abatido e prostrado.

Para que sua pelagem seja sempre saudável, é preciso escovar, desembaraçar, ventilar e facilitar sua secagem. Porém, sem exageros, uma vez que a escovação excessiva pode ocasionar a quebra dos pêlos. Apesar de não ser admitida a tosa, é bastante comum, no Brasil, que os donos tosem seu pelo no verão para que ele não sofra com o calor.

Como outras raças de grande porte, o Sheepdog está sujeito à displasia coxo-femural, sendo que de acordo com a Orthopedic Foundation For Animals, dos Estados Unidos, 22,2% de 6.963 Sheepdogs analisados no período de janeiro de 74 a julho de 91, apresentavam sintomas de displasia.

Além destas, o Sheepdog está ainda predisposto a apresentar problemas nos órgãos de visão, como catarata hereditária e Atrofia Progressiva da Retina, que pode levar o cão a ficar cego.


   

   

 

 

 

 

Referências Utilizadas

  • Revista Cães e Cia.

  • The Old English Sheepdog FAQ

  • Todos os Cães, Comp. Melhoramentos de São Paulo.

  • Cães de raças – Cães Grandes. Editorial Presença.

  • Guide to Dog's, Simon & Schuster's - Fireside Book

Para Saber Mais:

 



.


Fale com a Gente


  © COPYRIGHT M&M Arte Soluções Web  LTDA 1997-2014
Este site, suas fotos e textos, tem seus direitos autorais protegidos por lei.
É proibida sua reprodução parcial ou total sem autorização expressa e por escrito.