no ar desde 1998

 

Artrose


A artrose é uma doença crônica, degenerativa, que afeta as articulações das pernas de trás e as da coluna vertebral. Segundo a gravidade, poderá ocorrer redução de mobilidade, anquilose e até bloqueio completo.


A artrose é chamada cientificamente osteoartrite crónica ou artropatia. Caracteriza-se pela degeneração da cartilagem articular com uma proliferação óssea no bordo das superfícies articulares. Estas excrescências ósseas são chamadas "osteófitos’. Na coluna vertebral fala-se geralmente em bicos de papagaio, por causa do seu aspecto radiológico, muito parecido com o bico dos psitacideos (família a que pertencem os papagaios).

As Causas

A causa real da artrose é desconhecida, embora a doença seja devida ao envelhecimento normal da articulação e aos traumatismos não habituais suportados pela cartilagem articular.

A artrose pode ser primária ou secundária. A primária caracteriza-se pela ausência de um fator desencadeador inicial, enquanto que a segunda é conseqüência de um episódio agudo de artrite (A artrite é uma doença aguda, uma resposta inflamatória na articulação cuja causa inicial muitas vezes é conhecida. Assim, fala-se de artrite infecciosa ou supurativa, poliartrite reumatóide ou artrite traumática). O papel da idade parece evidente no primeiro caso, uma forma de artrose que se encontra muito raramente nos indivíduos jovens.

A artrose também pode aparecer quando existem más formações articulares: assim, a evolução da displasia coxo-femural conduz, inevitavelmente, à formação de osteófitos bem visíveis radiologicamente.

Os Sintomas

O sintoma mais evidente da artrose é que o animal começa a mancar. Este sintoma se manifesta principalmente no frio, quando o cão acaba de se levantar, por exemplo, e diminui à medida que o exercício aquece a articulação. A artropatia, na verdade, provoca dificuldades para se mover e produz uma dor que pode ser mais ou menos forte. O exame da articulação nas suas posições extremas fará com que o animal se queixe.

Se o animal é obeso - caso frequente no cão artrósico - a degeneração da articulação (que suporta um peso excessivo) ocorre mais rapidamente e as manifestações clínicas são mais precoces: estalidos quando se move a articulação, hipertrofia da mesma, musculatura atrofiada devido à diminuição da atividade física.

Exceto quando a artrose é consequência de um traumatismo localizado, é mais comum encontrá-la na sua forma poliarticular. Assim, quando se leva o animal a uma consulta por causa de um problema na pata, por exemplo, o exame descobre muitas vezes a existência de lesões em outras articulações.

atrose.jpg (37122 bytes) À esquerda, radiografia de quadris normais; à direita, a displasia coxo-femural do cão complica-se muitas vezes com artroses (as excrescências ósseas estão bem visíveis aqui).

O Diagnóstico

É relativamente fácil no caso do animal obeso e velho.

A radiografia permite revelar as lesões características da doença, ou seja, diminuição do espaço articular afetado pelo desgaste da cartilagem e, nos casos mais graves, áreas de proliferações ósseas nas bordas da articulação assim como espaçamento da cápsula articular.

Como tratar a artrose

O tratamento desta patologia costuma ser difícil. Em primeiro lugar, é imprescindível um regime alimentar equilibrado, a fim de eliminar o excesso de peso do animal. Também é indispensável o exercício cotidiano, que deve ser progressivo e suave para preservar as estruturas já danificadas pela doença.

Por último, na medida do possível, o cão deve ficar protegido do frio e da umidade.

Tratamento médico

Por um lado, permite aliviar as dores provocadas pela artrose e, por outro, tenta prevenir o agravamento das lesões.

Os medicamentos de base utilizados contra esta patologia são a aspirina e Outros derivados do ácido salicílico. Estes medicamentos, no entanto, muitas vezes são mal tolerados pelos carnívoros, que podem ter vômitos e até hemorragias do estômago.

Os outros produtos analgésicos e anti-inflamatórios que são os corticóides e os anti-inflamatórios não esteróides (AINS) têm também as mesmas conseqüências na mucosa gástrica. Em todo o caso, os corticóides têm a vantagem de se poder utilizar ia situ, em injeções intra-articulares, mas a sua ação tem duração limitada, o que obriga a renovar a sua administração.

Medicamentos à base de enxofre podem evitar um agravamento muito rápido da situação.

Tratamento cirúrgico

Em alguns casos, pode-se recorrer a uma intervenção cirúrgica, ou para tirar os esteófitos da articulação, ou para introduzir uma substância viscoelástica que a lubrifique, ou ainda para fazer uma prótese total, que irá substituir a área que já não funciona.

Note-se que a cura apenas é possível nos casos de intervenção precoce, realizada simultaneamente sobre a doença e suas possíveis causas e sobre os seus sintomas.

Se as lesões estão muito avançadas, não se pode esperar uma recuperação total da articulação afetada. Neste caso, um grau maior de invalidez afligirá o animal, infelizmente, durante o resto da sua vida.

Fonte: Coleção Nossos Amigos, Os Cães

   

Veja também:

- Vacinação
- Como examinar seu cão no dia a dia?
- Emergência Veterinária

Em casos de emergência NÃO DEPENDA DA INTERNET. Tenha sempre o telefone do seu veterinário de confiança ou consulte a lista de serviços veterinários e hospitais 24 horas.

Fale com a Gente

 
  Compartilhe
o Dogtimes
 

 

 


Voltar ao topo da página


  © COPYRIGHT M&M Arte Soluções Web  LTDA 1997-2014
Este site, suas fotos e textos, tem seus direitos autorais protegidos por lei.
É proibida sua reprodução parcial ou total sem autorização expressa e por escrito.