no ar desde 1998

 

Cães ansiosos


Seu cachorro não pára um segundo?  É incapaz de simplesmente ficar deitado ao seu lado, precisando sempre estar em atividade?  Destrói jardins e móveis quando fica sozinho?  Parece que está sempre ligado no 220w? Então, muito possivelmente seu cão sofre de ansiedade. Cães ansiosos são sempre hiperativos, ficam o tempo todo tentando chamar a atenção do dono, e nunca conseguem relaxar. Só param quando ficam exaustos. Este é um comportamento muito comum nos cães, e (infelizmente) raros são os donos que conseguem lidar com isso.

Não existe uma causa que sozinha determine se um cão será ou não ansioso, mas algumas questões, sem dúvida, são determinantes no comportamento dele, e mais especificamente na probabilidade dele ser um cão ansioso.

O ambiente em que o cão fica é fundamental. Raros são os cães que têm estabilidade emocional para agüentarem ficar sozinhos o dia inteiro. Mesmo assim sabemos que esta é uma condição muito comum na vida dos cães. Cães precisam ter companhia!  Isto é mais importante até do que ter espaço. Há muitos cães que ficam, às vezes, vários dias preso num quintal sem quase ter contato com seu dono. Este é o tipo de cenário muito propício para desenvolver um comportamento muito ansioso. O dono não consegue ter uma boa convivência com o próprio cão, nunca chegando a  estabelecer uma relação de liderança. O cão reage, tentando fazer de tudo para ter a atenção do dono, mesmo que seja a atenção negativa (“como ensinar um cão a não pular nas pessoas”). E, na maioria das vezes, essas tentativas são tremendamente desajeitadas, muitas vezes chegando a machucar o dono.

Isto afasta o dono cada vez mais do cão, tornando tudo um círculo vicioso: o cão é ansioso; e por conta disso seu dono evita o contato; e com isso aumentando mais a carência do cão, que fica mais ansioso. 

Outro situação a ser ressaltada é o caso de cães que não têm qualquer distração. Nada pior para um cão do que a falta de atividade.  Cães precisam de distração!  Precisam brincar! Muitos se distraem olhando a rua; outros passam horas brincado com bolinhas; roendo ossos; caçando passarinhos; etc. Porém há muitos cães que não tem nada o que fazer o dia inteiro! Nada! Toda a energia deste cão fica totalmente canalizada para a hora que seu dono abre a porta de casa ao chegar do trabalho. Daí temos o mesmo problema que descrevi antes: o cão machuca, o dono rejeita, etc.

Isso tem solução??? 

Tem! 

Temos que mudar o ambiente deste cão de forma que ele possa ter uma vida saudável. Neste sentido, precisamos também trabalhar a relação entre o dono e o cão de forma que os desejos do dono sejam mais claros para o cão, ou seja, fazer deste dono um líder.

Além disso, é importante que o dono aja de forma a estimular que o cão tenha um comportamento mais calmo. Muitas vezes o dono só dá atenção ao cão quando este está latindo muito, ou fazendo muito bagunça. Isto em linguagem canina quer dizer: faça bagunça, e você terá a minha atenção; ou lata muito, e eu olharei pra você. Ou seja: mais uma vez estamos falando da atenção negativa.

Falar bem baixo, por exemplo, fará com que o cão tenha que ficar menos agitado para poder ouvir o que estamos falando. Gritar é pior, pois o cão pode acreditar que a liderança será conseguida (literalmente) no grito, então ele irá gritar da única forma que ele sabe: latindo, e bem alto. Quando falamos baixo, no entanto, não só fazemos com que ele mude de comportamento, para poder prestar a atenção ao que falamos; também proporcionamos a ele a possibilidade de poder ouvir suavemente a nossa voz. Ele vai adorar! Comece a agradá-lo suavemente enquanto ele ficar quieto. Se ele se mexer, segure-o com firmeza e fale NÃO. Assim que ele ficar parado de novo, comece a fazer carinho e falar baixinho. Isso ensinará a ele que quando ele fica quietinho você faz carinho nele.

Atividades agitadas não devem ser incentivadas. O dono de um cão muito ativo deve evitar  fazer brincadeiras muito agitadas, ou agressivas. Ele precisa incentivar, e reforçar o contato calmo, mesmo que para isso esse contato tenha que ser, a princípio, feito com o cão preso, ou separado por um portão. O importante nesta fase é compensar o cão sempre que ele se mostrar calmo e carinhoso. Toda atitude mais bruta deve ser rechaçada.Mostre que quando ele fica calmo ele terá a sua atenção, o seu carinho, e até pode rolar um petisco! 

Não se esqueça, também de se certificar que seu cão não fique entediado. Dê para ele um daqueles ossos grandes (natural, ou os feitos de couro de boi), que irá distraí-lo durante horas, e é isso que você busca: que ele se distraia.  Outra dica são os brinquedos feitos para cães solitários. São brinquedos que distraem o cão, normalmente usando a própria comida do cão como objetivo: o cão tem que mexer o brinquedo de determinada forma para conseguir a comida, ou petisco.

É importante falar que estas coisas levam tempo.  Não adianta comprar um osso e achar que de um dia para o outro seu cão vai se tornar tranqüilo.  A mudança é gradual, e exige tempo e determinação de sua parte.

 

Veja outros artigos sobre adestramento: senta - deita - vem ou aqui - não pula - não moder - andando junto

Leia também: Manual do Filhote - tudo o que você precisa saber para educar bem o seu filhote.

Boa sorte!

Maíce Costa Carvalho, adestradora
maice@dogtimes.com.br

 

   

Leia mais sobre o assunto:

- Cães Solitários
- Ansiedade Canina
- Depressão

Leia também: Manual do Filhote - tudo o que você precisa saber para educar bem o seu filhote.

Fale com a Gente

 
  Compartilhe
o Dogtimes
 

 

 


Voltar ao topo da página


  © COPYRIGHT M&M Arte Soluções Web  LTDA 1997-2014
Este site, suas fotos e textos, tem seus direitos autorais protegidos por lei.
É proibida sua reprodução parcial ou total sem autorização expressa e por escrito.