no ar desde 1998

 

O Cão Ideal


img2.jpg (28450 bytes)Não existe uma fórmula mágica para descobrirmos qual o cão ideal para cada um de nós. Muitos aspectos contribuirão para definir o temperamento de um cão até ele chegar à fase adulta. Porém podemos tomar alguns cuidados na hora de escolhermos a raça do cão, para que esta história não comece já com os seus dias contados.

Já tive uma cliente que ficava tremendamente infeliz pelo fato de seu cão não gostar de acompanhá-la em seus passeios diários. Quando ouvi tal reclamação, estranhei: normalmente esta é a atividade preferida dos peludos. Porém, assim que saí na rua com ela percebi qual era o problema: ela gostava de andar num ritmo bastante veloz, todavia, o seu cão, sendo um Basset Hound, JAMAIS seria capaz de acompanhá-la naquele ritmo, por ter pernas muito curtas. Este é um caso bastante clássico: apesar de querer um cão que a acompanhasse na rua durante sua caminhada, esta cliente adquiriu um cão de uma raça tremendamente sedentária, que poderia até passear com ela, mas nunca no ritmo que a proprietária gostaria.

Outro história muito comum: A pessoa que mora num apartamento e quer um cão. Logo ela deseja um cão de porte pequeno, ou médio; que tenha pelo curto. Então ela escolhe ter um Beagle. Pronto: seus problemas apenas começaram. Apesar de ser de porte pequeno, o beagle é um cão de caça, que foi desenvolvido para correr grandes extensões de terra atrás da caça. Ele precisa de muita atividade, e sofrerá muito por ficar num apartamento o dia inteiro. Por conta desta inatividade, ele irá procurar o que fazer...e encontrará...começará a roer a mobília; roubar comida da cozinha; roer o seu sapato novinho, etc. Mesmo que você o deixe restrito a uma área onde ele não possa destruir nada, ele jamais terá a quantidade de atividades suficiente para deixá-lo saciado. Conclusão: ele será um cão tremendamente ansioso, agitado, e desobediente.

Imagem extraída do site do AKCPor que isto acontece??? Porque as pessoas escolhem seus cães pela sua beleza, e não pelo temperamento, ou pela sua adequação à vida, e aos desejos, do futuro proprietário. Não estou dizendo que devemos escolher um cão feio. Estou dizendo que quando resolvemos ter um cão, devemos tomar alguns cuidados, e o primeiro deles é saber escolher a raça.

O primeiro aspecto a ser avaliado é o tipo de ambiente que este cão terá:

  • Se ele poderá entrar em casa, ou não;
  • Se ele terá companhia o dia todo, ou precisará ficar sozinho durante muito tempo;
  • Qual o espaço que este cão terá para brincar, dormir, fazer xixi e cocô;

Outro aspecto muito importante é que tipo de temperamento queremos deste cão:

  • Se o que queremos um cão esportista ou um mais bonachão;
  • Um cão independente, ou mais dependente;
  • Um cão de guarda, ou só de companhia;
  • Um cão que conviva bem com crianças, ou não;
  • Se você quer um cão para exposições e outras provas, ou um cão de estimação sem maiores pretensões.

fbordercollie49.jpg (20569 bytes)As Características Físicas desejadas também devem ser avaliadas:

  • Qual o tamanho ideal? Mini (ou toy); pequeno; médio; grande; enorme;
  • Que tipo de pêlo? Curto; comprido; macio; áspero, etc;
  • Um cão mais esguio, ou um mais fofinho.

Depois de ter todos estes elementos em mão, está na hora de pesquisar sobre as diversas raças caninas que existem. Leia com atenção as matérias sobre cada raça; converse com veterinários e adestradores; não se esqueça dos criadores e dos proprietários. Cada um deles irá te dar uma visão diferente, mas que no geral poderão te dar uma boa base sobre cada raça.

Evite cair em certos mitos, muito difundidos, mas muitas vezes enganosos:

HOLLYBELLE MISTIC“Quero um cão pequeno para ter menos trabalho”.
Cães pequenos não dão um trabalho pequeno. Não é o tamanho do cão que irá fazer diferença. Cães dão trabalho sejam eles grandes ou pequenos. Todos precisam ser cuidados, alimentados, educados, medicados, etc. E se você procura um cão que não dê trabalho, ele só existe na versão pelúcia.

“Cães de pêlo curto dão menos trabalho, pois você não precisa tosar”.
É verdade, e como você não tosa, o pêlo simplesmente cai. Ou seja, cães de pêlo curto darão mais trabalho pra você na hora da limpeza, pois estes pêlos, por serem muito finos, são levados com o vento e espalham-se na casa toda, especialmente em tapetes e sofás.

“Vou ter este cão porquê o meu filho PROMETEU que tomará conta dele, dará comida, limpará o xixi e o cocô dele, irá levá-lo ao veterinário, etc”.
Crianças não são capazes de cuidar nem mesmo delas mesmas, imagine cuidar das necessidades de um cão. É lógico, que dar a elas alguma função no trato do cão pode ser tremendamente educativo, mas desde que você esteja no comando, orientando, e não cobrando. Se você não se dispõe a ter trabalho com um cão, simplesmente diga ao seu filho que não quer cães sua casa. Não se iluda: quem toma conta do cão é a dona da casa.

Quando adquirimos um cão estamos iniciando um relacionamento que durará muitos anos. Algumas raças vivem de 8 a 10 anos, mas a grande maioria das raças vive bem mais que isso. Portanto, esta escolha deve ser feita com muito cuidado, e nunca no impulso. Muitas vezes temos o sonho de ter um cão de determinada raça, mas se esta raça não está de acordo com nosso estilo de vida, ou com a nossa disponibilidade, este sonho pode se tornar um verdadeiro pesadelo. Lembre-se: aquele cãozinho lindo que aparece na TV ou no cinema não nasceu assim (limpinho; educado;e penteado) Ele foi exaustivamente treinado! Tenha certeza disso.

   

Veja como praticar sua liderança e ensinar ao seu cão o que você quer dele, lendo as matérias sobre adestramento:

- senta
- deita
- vem ou aqui
- não pula
- não morder
- andando junto

Leia também: Manual do Filhote - tudo o que você precisa saber para educar bem o seu filhote.

Fale com a Gente

 
  Compartilhe
o Dogtimes
 

 

 


Voltar ao topo da página


  © COPYRIGHT M&M Arte Soluções Web  LTDA 1997-2014
Este site, suas fotos e textos, tem seus direitos autorais protegidos por lei.
É proibida sua reprodução parcial ou total sem autorização expressa e por escrito.