no ar desde 1998

 

O Acasalamento


Como regra geral, é sempre melhor, principalmente quando os "noivos" são novos e portanto ainda inexperientes em assuntos amorosos, que a fêmea seja levada para a casa do macho, uma vez que fora de seu território ela estaria menos agressiva e preocupada com a manutenção de seu próprio "espaço". No entanto, nos casos em que o macho more em apartamento e/ou tenha pouco espaço e a fêmea tenha mais condições, essa regra pode ser quebrada. O mais importante é que a fêmea encontre-se realmente no cio.

Como identificar o cio?

No início do cio, ocorre em geral uma modificação do temperamento da cadela, que se torna mais dócil, com micções mais freqüentes, emite ganidos sem causa aparente, demonstrando também maior atividade e movimentação.

A vulva congestiona-se, apresentando ligeiro aumento de volume e deixando em seguida escorrer corrimento seroso de início e em seguida sanguinolento. Esse corrimento sanguinolento ocorre portanto no início do cio das cadelas, diferentemente do que ocorre com a mulher, quando tal corrimento chamado de menstruação ocorre no final do ciclo sexual.

A partir desse corrimento sanguinolento nas cadelas, conte sete dias (primeira semana), período esse que em geral as cadelas não aceitam ainda o macho para acasalamento. Ao fim desses sete dias, as cadelas quando acariciadas com a mão em seu dorso, elevam ligeiramente a cauda e deixam-se também acariciar em seus órgãos sexuais externos, ou então, deitam-se de costas com as pernas para cima exibindo sua barriga para ser acariciada.

Se estes sinais estão presentes, considera-se que a cadela está pronta para o encontro do macho para o acasalamento, porém, não é indicado fazê-lo antes do terceiro cio, pois o organismo da fêmea ainda não está pronto para a maternidade.

Normalmente, estando a cadela em seu período fértil, basta colocar os "noivos" juntos e o macho procurará cavalgá-la para proceder ao coito. Pode ocorrer às vezes, um período prévio de namoro, principalmente quando são ambos (ou apenas o macho) inexperientes sexualmente (afinal são irracionais mas também não são de ferro !!!). O ideal é cruzar três vezes, em dias alternados, para aumentar a chance de êxito.

Se a cadela permite o início do cruzamento mas o interrompe, pode ser por dores devido a ferimentos internos ou problemas anatômicos, requerendo o diagnóstico de um veterinário. Não aguentar o peso do macho também é motivo para causar a interrupção. Neste caso, ajude a sustentá-lo ou arrume outro namorado para a cadela.

Se este for seu caso, tenha paciência e ajude se necessário, segurando a cadela, para que a mesma seja cavalgada pelo macho e assim se efetue a cópula entre ambos.

Mas... se você já tentou de tudo, não perca as esperanças: existe a possibilidade de inseminação artificial, cuja técnica é bem simples, bastando levar o casal à clínica de um veterinário especialista em reprodução.

 

Carmello Liberato Thadei (Médico Veterinário -CRMV-SP-0442).